sexta-feira, março 18, 2011

Fim do mundo? Acho que não(?)!

A pouco tempo saiu uma matéria na revista Super Interessante, explicando que nosso cérebro adora padrões. Todos os feitos humanos até hoje foram frutos desse comportamento da nossa mente. Exemplos clássicos a maçã na cabeça de Newton, a discussão da forma da terra de Galileu, a filosia dos gregos, tudo baseado em observação, empirismo e a capacidade que temos de encontrar padrões.
Como tudo na vida pode ser usando de forma, vamos dizer, saudável ou serviço da sabotagem. Acreditem, nossa mente nos sabota o tempo todo. São mentiras que ao "fazerem sentido" acreditamos como verdades. Essa sabotagem pode ser boa, como você achar o amor da sua vida no ponto de ônibus. Como a gente tem características de querer achar um porque para tudo, ficamos perguntando como foi possível, achar aquela pessoa, naquela hora, naquele lugar, daquela forma quando tudo conspirava para aquele encontro nunca acontecer? Acabamos por atribuir aquilo tudo ao destino e nossos pensamentos sossegam, nos damos por satisfeitos e passamos a acreditar no destino.
Um assunto que vira mexe volta a tona é fim do mundo. Coincidencia ou não, esse assunto fica mais em destaque sempre que acontece alguma catástrofe. Adoramos falar de fim do mundo que isso e aquilo. A teoria da hora é do ano 2012, preferida pelos Maias. Até então era a de Nostradamos em 2000, sempre procuramos um argumento para todo mundo morrer, que coisa!
O fato que nossa mente fica procurando argumentos para justificar cada nova profecia que surge. Sempre tentamos conectar uma fato com outro para justificar as coisas que acontecem, aconterão ou mesmo aconteceram (sei conjugar os tempos direitinho), o mais comum agora é conectar os acontecido de 11 de setembro de 2001 com o mais novo sinal do apocalipse, o tsumani/terremoto/radiação japonês.
Vamos aos argumentos para acabarmos com o a terra dessa vez. 11/09/2001, caem as torres gêmeas, um fato planejado e executado pelo homem. 10/03/2011 tsumani/terremoto/radiação japonesa. Olha que incrível, 11+10 = 21, 09+03 = 12, 2001 + 2011 = 2012 resultando em 12/21/2012. Extamente a próxima data do fim do mundo. Agora olha o salseiro, balaio de gato, bolo doido que fazemos para nos justificar.

  1. Previsão Maia
  2. Atentado de 11 de setembro
  3. Catastrofe japonesa
  4. O calculo das data tivemos que usar o formato americado, onde o mês vem primeiro

Somamos as datas de um acontecimento artificial, mais a data de um acontecimento natural em um formato específico e chazam! é a mesma data do fim do mundo que Maias, que tem tudo a ver com os americanos, terrorismo, japoneses e placas tectonicas.
Baseado nessas informações chegamos a justificativa "irrefutável", de que o mundo de fato irá acabar em 2012.
Isso é uma resenha enorme em cima de piada que está rolando na internet. Agora que desconstruir todo seu pensamento, no que você acredita? Por que queremos sempre acreditar em alguma coisa?

Agora pensando por outro lado, toda civilização já previu sua data do fim do mundo antes. Só que a gente esquece que a visão de "mundo" de cada uma dessas civilizações são/era complemtamente diferentes, lá pelo oriente médio berço da religão inventada-para-conter-as-barbaridades-da-época-cristã nem se fazia idéia que as américas existiam, o "mundo" p/ eles ia do império persa (lá pás bandas da china) até a peninsula eurasiana (europa? rsrs) e pegava até o meio da áfrica também. Segundo estudiosos, o apocalipse da bíblia já aconteceu a muito tempo. O MUNDO p/ eles já acabou faz tempo.
A mesma coisa para cos Maias, o mundo p/ eles era basicamente as américas. A religião deles não foi inventada, mas sim baseada nos estudos dos acontecimentos naturais com o dia e a noite e as estrelas. A gente sabe que a depender de onde vc esteja no planetas as constelações visíveis são diferentes, bem como a depender do clima, vegetação, posição em relação a lua e uma série de outros fatores tambem são completamente diferentes. Então presumo que talvez o fim do mundo para o maias fosse algo como aconteceu no chile, pq se hoje um terremoto é interpretado como uma calamidade natural, como devia ser interpretado antes? Forças da natureza que por algum motivo desconhecido não estava feliz conosco. É, porque os ser humano é bicho tão egoista que pensa que tudo gira em torno dele. Contudo, parece não saber que é tão insignificante que não é capaz de acabar com mundo nenhum, talvez só com a própria existência.

4 comentários:

Clara Miranda disse...

Pois é...
Esse mundão véio sem portêra já acabou várias vezes.
E a lógica das datas continua sem lógica.
Eu chamaria de coincidência matemática.
Só a última data vem invertida? Aiaiai...
Bjim

KabonG disse...

"A pouco tempo saiu uma matéria na revista Super Interessante, explicando que nosso cérebro adora padrões. Todos os feitos humanos até hoje foram frutos desse comportamento do nosso mente."

Dr. Dráuzio Varella detected!!!

Iris disse...

Pois é, esse povo adora uma teoria da conspiração...

Lorena disse...

Essa poha vai acabar mesmo....

XD